Forum para a Governação Integrada

Desafios das CPCJ enquanto boa-prática de governação integrada

 Ao início da tarde o Professor João Ferrão (ICS-UL) moderou o painel que debateu a  “Autonomia, Liderança e Participação em Governação Integrada”.

O Professor Joaquim Azevedo (UCP-Porto) pela voz da Drª. Teresa Espírito Santo (CNPCJR) apresentou um discurso desencantado com os políticos que governam e parecem esquecer as instituições de governo descentralizado. Joaquim Azevedo congratulou o modelo de cooperativismo das CPCJ, reforçando que esses laços de cooperação trabalham com quem mais precisa em cada comunidade, especialmente nestes tempos de crise. A ciência de base comunitária com pressupostos de empowerment, os seus desafios e problemáticas foram o foco da apresentação da Professora Maria João Vargas Moniz (ISPA). A Dr.ª Joana Garcia da Fonseca (CPCJ da Amadora) relatou, na sua comunicação, os fatores críticos do sucesso da intervenção.

 cpcj3

No último painel intitulado “Monitorização e Avaliação: desafios em modelos sistémicos”, a moderação esteve a cargo do Dr. Pedro Cunha (Direção-Geral da Educação). Na sua comunicação, o Professor Marcos Olímpio (Universidade de Évora) referiu a colaboração da Universidade com o trabalho das comissões (dando como exemplo a elaboração de um sistema de observação). Posteriormente, a Dr.ª Conceição Peres (CPCJ de Évora) referiu o estudo de caso do Sistema de Observação da Infância da CPCJ de Évora. O Dr. João Pedro Tavares fechou o último painel com uma comunicação sobre a “Introdução de Sistemas de Medição e Monitorização”, alertando para a necessidade de “dar tantos passos atrás quanto os necessários para recolocar o problema”. Trouxe ainda para a discussão a questão do erro, afirmando que sem a apropriação e tratamento do erro não se pode melhorar. O Dr. João Pedro Tavares explicou ainda que, apenas o que é medido é passível de ser melhorado.

cpcj4

Antes do término dos trabalhos a Professora Ana Nunes de Almeida (ICS) realizou um comentário síntese do dia e apresentou questões para estimular o debate. Durante o encerramento a Exma. Procuradora Geral da República Joana Marques Vidal, louvou a iniciativa e confidenciou que iria levar consigo a inspiração da temática da governação integrada para discussão no Ministério Público. O Presidente da CNPCJR, Armando Leandro, agradeceu uma vez mais a presença e despediu-se da audiência.

Membros